quarta-feira, setembro 24, 2008

Jornada de Protesto da DECO

A DECO achou por bem fazer uma Jornada de Protesto contra os preços dos combustíveis no próximo dia 27 de Setembro de 2008 (Sábado), propondo um boicote à compra de combustíveis nesse dia. Nesta semana, e depois do anúncio da DECO e das pressões do governo, os preços têm descido de forma relativamente significativa.

É evidente que os consumidores ao não abastecerem no próximo sábado, abastecerão de certeza antes (talvez motivados pela descida dos preços nas principais gasolineiras - com papas e bolos se enganam os tolos... cuidado!) ou depois, revelando-se praticamente indiferente para as gasolineiras este protesto. Por isso, eu iria um passo mais além: se tiverem de abastecer o carro, abasteçam-no noutros postos que não os de marca. Nesses, os preços dos combustíveis são ainda mais baratos.

Esta descida significativa na gasolina e gasóleo vem provar ainda mais a tese de que os preços dos combustíveis são mantidos artificialmente altos, contra tudo o que são regras de mercado (lei da oferta e da procura, por exemplo), num claro oligopólio entre as gasolineiras. Se estas não cumprem as leis do mercado, cabe aos consumidores aplicar a devida penalização, comprando sempre os combustíveis nos locais em que este é vendido mais barato.

Esta é uma boa causa para se lutar e todos juntos podemos certamente fazer mudar muita coisa.

quinta-feira, setembro 18, 2008

Efeito Stock

O que é o efeito Stock? Convém ler primeiro este documento:


Alguns números na página 10 deste documento:

Efeito Stock20072008
Primeiro Trimestre142403
Segundo Trimestre128320
TOTAIS270723
milhões de euros

Na mesma página ainda pode ler-se:

O resultado operacional em IFRS do primeiro semestre de 2008 foi de €725 milhões, ou seja, 40,2% superior ao de igual período de 2007. Em termos ajustados, excluindo o efeito stock e os eventos não recorrentes, o resultado operacional foi de €316 milhões, ou seja, uma diminuição de 16,5% em comparação com o primeiro semestre de 2007.

O IFRS é o International Financial Reporting Standard, ou seja um padrão de contabilidade que as empresas portuguesas têm de seguir.

Agora, vamos à definição de Efeito de Stock: o petróleo utilizado na refinação dos combustíveis é adquirido 2 a 2,5 meses antes mas o preço do combustível à saída das refinarias reflecte o preço do barril de petróleo registado uma semana antes (pelo que dizem). Ora esta diferença entre o preço de aquisição e o preço de venda é o denominado efeito de stock.

Denota-se a preocupação em transmitir a ideia de que existe uma diminuição dos resultados operacionais e, desta forma, que a empresa acompanha a crise do mercado. Esquecem-se é que por trás da areia que nos atiram para os olhos, ainda se consegue perceber que a escalada dos preços do petróleo rendeu à Galp no primeiro trimestre de 2008 a módica quantia de 723 milhões de euros, ou seja, mais 453 milhões de euros, ou seja, cerca de 58 euros por segundo a mais do que no primeiro trimestre de 2007.

Não há dúvidas que as empresas petrolíferas usam uma fórmula diferente para o cálculo do preço dos combustíveis quando o petróleo está a subir e quando o petróleo está a descer. Tudo no sentido de maximizar os lucros, como não podia deixar de ser, como bons gestores que são. Mas aqui entramos num domínio diferente, talvez desconhecido para alguns: o da ética. Será ético mostrar estes resultados a um país que atravessa uma crise económica? Não me parece.

Por parte do governo, assistimos a um contracenso: um relatório recente demonstrou (?) que tudo estava bem com o preço dos combustíveis e agora vem um ministro dizer que seria bom que os combustíveis baixassem para acompanhar o preço do petróleo. Em que ficamos?

Vemo-nos por aí... mas não em postos de combustível que obtêm lucros astronómicos à custa de um país que definha.

As opiniões vinculadas através de posts com o label "Teoria da Conspiração" não devem ser levados a sério. Qualquer semelhança com situações, locais ou pessoas reais é mera coincidência. Não existem provas de nada que se escreva no âmbito deste post.

terça-feira, setembro 16, 2008

Mas que 12º Ano?

Excerto de uma notícia da TSF:

O Presidente da República defendeu, esta segunda-feira, durante a cerimónia de inauguração das obras de modernização realizadas na Escola Secundária D. Dinis, em Lisboa, o alargamento da escolaridade obrigatória até ao 12º ano.

«É preciso mobilizar todos, unir todos em torno de uma grande ambição, de uma meta para o futuro, que estou convencido que irá ser definida não daqui a muito tempo: 12 anos de escolaridade», disse.

Para Cavaco Silva, o aumento dos níveis de escolarização em Portugal «é fundamental para o desenvolvimento e progresso do país».

«Sabemos muito bem que sem isso não é fácil aumentar o progresso no nosso país, nem a melhoria das condições de vida da nossa população», considerou, lembrando que os salários dos trabalhadores que concluíram o ensino secundário são «significativamente mais elevados» dos daqueles que apenas completaram o ensino básico.

Ao lado da ministra Maria de Lurdes Rodrigues, o Chefe de Estado salientou que a Educação deve ser «o grande desígnio nacional que a todos deve unir e mobiliza», nomeadamente os órgãos de soberania, forças políticas e comunidades locais.

Também a ministra da Educação tinha afirmado, sexta-feira em Gaia, que poderá ser desnecessário alargar a escolaridade obrigatória para 12 anos, como estava previsto no programa do Governo.

«Se as condições forem tão boas, se a resposta das escolas for tão boa como está a ser, provavelmente nem será necessário tornar obrigatório o 12º ano», disse Maria de Lurdes Rodrigues, à margem da comemoração do "Dia do Diploma", na escola secundária Almeida Garrett, em Gaia.


A questão que se coloca e à sombra do que tem vindo a ser nos últimos tempos a política de facilitismo na educação, não se trata de saber se queremos a escolaridade obrigatória até ao 12º ano! Trata-se de saber que escolaridade obrigatória queremos ter até ao 12º ano!

Com a actual política de facilitismo na educação podemos estar a melhorar as estatísticas... mas podemos também estar a comprometer uma geração inteira.

As opiniões vinculadas através de posts com o label "Teoria da Conspiração" não devem ser levados a sério. Qualquer semelhança com situações, locais ou pessoas reais é mera coincidência. Não existem provas de nada que se escreva no âmbito deste post.

segunda-feira, setembro 08, 2008

Fenómeno

Ontem, enquanto fazia uma viagem de automóvel, deparei-me com um estranho fenómeno nos céus de Barcelos que nunca tinha presenciado.



Descrição: junto ao sol do fim de tarde, uma nuvem rarefeita emitia um brilho intenso juntamente com um pedaço de arco-íris.

Estado de tempo: o céu apresentava-se quase limpo.

A minha explicação: esta minha mania de querer explicar as coisas... bem... aparentemente, duas coisas contribuíram para este fenómeno: a núvem apresentava-se tão rarefeita que as gotículas de água em suspensão faziam o efeito que um arco-íris faz num dia de chuva miudinha em que também há sol; a nuvem deveria ter o aspecto de uma cortina orientada de tal forma com os raios solares que provocaram esta visão inesperada. O fenómeno pôde ser observado de vários ângulos e durante um extenso período de tempo.

Fiquei com pena de não ter ali à mão a minha máquina fotográfica digital para tirar uma foto com maior resolução.

Festival Eurovisão da Canção 2017

Desta vez é um comentário a posteriori , até porque assim se torna mais fácil fazer prognósticos. Comecemos pelo concurso interno portuguê...