quinta-feira, novembro 15, 2007

Programa e.escola da TMN (quase uma telenovela) - Parte II

Eis então que chega o momento de instalar a Placa de Banda Larga da TMN: ZTE MF620. Ficou o caldo entornado. As instruções estão escritas num português duvidoso, o que até tem uma certa piada, porque a placa é fornecida no âmbito programa e.Escola.

Durante a instalação infrutífera, a placa não teve o comportamento previsto nas instruções. Lia-se nestas algo parecido com: "para dúvidas sobre a instalação, consulte a nossa Hot Line". O número da Hot Line é estrangeiro, por isso, fiquei com receio de ser atendido por um Chinês.

Como eu não percebo bolha de Mandarim, resolvi confiar mais no número de apoio da TMN, que também vinha indicado: o 12 030. Nas opções, escolhi "5" e sou atendido por alguém (cerca de 5 minutos depois) que me aconselha a ter a placa ligada ao computador durante 1,5 horas para carregar a bateria. Assim fiz. Voltei a ligar para o número de apoio da TMN e desta vez tive de esperar cerca de 7 minutos. A pessoa do outro lado pareceu-me mais entendida e tentámos várias coisas: põe placa, tira placa, põe bateria, tira bateria, põe cartão, tira cartão, instala a placa num PC com Windows XP... nada... a placa estava mesmo mortinha e o computador não conseguia reconhecer o dispositivo. Perguntava sempre por um CD de acompanhamento do Hardware, coisa que não existe.

A dada altura, a pessoa do atendimento sugere que eu me desloque a uma loja oficial TMN para que me substituam a placa, já que o erro parece ser da placa. Perguntaram-me de onde era e de entre as escolhas que me deram, disseram-me que me poderia deslocar à loja do Norte Shopping.

No outro dia, dirijo-me à loja do Norte Shopping, contei-lhes o que se tinha passado e pedi que me trocassem a placa. Depois de irem ver ao armazém, disseram:
- "Olhe... só temos esta embalagem aberta com uma placa... mas não sabemos se já foi utilizada, ou se está avariada... mas se quiser levar...".
Eu respondi:
- "Não... acho melhor trocar esta por uma equivalente, ou seja... nova... onde posso arranjar isso"?
Disseram-me:
- "Tem a loja tal com x placas, a loja tal com y placas e a loja TMN do Arrábida Shopping com 24 placas".
Perguntei eu:
- "Então se eu me deslocar à loja TMN do Arrábida Shopping eles resolvem-me o problema"? Retorquiram:
- "Sim"!

No fim do dia de trabalho, desloquei-me à loja TMN do Arrábida Shopping e contei, pela quarta vez, todas as minhas peripécias:
- "...e disseram-me que poderia trocar aqui a minha placa, uma vez que vocês têm 24 placas".
Antes disso, tentaram a todo o custo instalar a minha placa defeituosa no computador, sem sucesso, repetindo todos os passos que eu já tinha feito anteriormente. A dada altura, diz a menina da loja:
- "Olhe... nós não temos capacidade para lhe resolver o problema... vai ter de ir à TMN da Boavista para que eles possam reparar a placa".
Aí, eu explodi:
- "Desculpe lá! Do Norte Shopping mandam-me para aqui... e agora vocês mandam-me para a Boavista? A placa não tem que ser arranjada! A placa tem que ser substituída, uma vez que tem menos de um mês nas minhas mãos! Eu quero que me substituam a placa"!
Outra menina da loja, talvez mais importante, perguntou à primeira o que é que eu queria. Foram as duas ao armazém e lá vieram com uma placa "nova". É evidente que as meninas da loja não percebiam muito das novas tecnologias e tiveram que pedir a ajuda de um terceiro funcionário que já estava a atender um cliente com um problema semelhante ao meu. A placa "nova" teve o mesmo comportamento da minha placa defeituosa.

Perante o meu olhar furibundo, uma cliente de meia idade veio ter comigo e disse:
- "Esse computador tem Windows Vista, não tem? É do Programa e.Escola, não é? Está com problemas na placa de rede, não está? Pois é... essas placas não costumam funcionar... tenho vários colegas com o mesmo problema"!
Fiquei de rastos e pensei que não seria naquele dia que teria o meu problema resolvido.
Depois de várias tentativas, eles acabam por me dizer:
- "Olhe... o seu computador também não funciona com esta placa. Deve ser um defeito do computador"!
- "Olhe que não! Essas portas USB estão a funcionar direitinho! Já liguei sem problemas um rato sem fios e um disco externo... o problema é da placa"...
- "Mas nós não temos os conhecimentos técnicos para lhe resolver este problema... vai ter que levar o computador e a placa à PC Clinic do Norte Shopping. A TMN fez um acordo com esta empresa para este tipo de problemas".
- "Então, por favor... vocês têm Livro de Reclamações"?
- "...temos"...
- "Queria escrever no Livro de Reclamações, por favor"...
- "Um momento"...

Não percam o próximo empolgante episódio!

1 comentário:

Maria disse...

Dia 28 de Janeiro, enviei um email para a TMN:
É com grande indignação que vos contacto.

Dia 11 de Outubro, a TMN, recebeu o meu pedido de adesão ao serviço banda larga - e-professor.

Perante a grande espera, em Dezembro, contactei-vos para saber o que se passava com o meu pedido. Responderam que com o pedido estava tudo bem e que o computador já encontrava no transportador e como o Natal se aproximava, poderia demorar uns 15 dias a fazerem a entrega. A espera continuou. Por volta dessa altura, a TMN, contactou-me por volta da 21.30h para saber se dois dias depois poderia ir receber o computador das mãos do Primeiro Ministro. Respondi que a essa hora da noite não poderia responder a essa pergunta, visto que não me encontrava na escola e não sabia se poderia faltar ou se haveria alguém disponível para me substituir. Disseram então que me telefonariam no dia seguinte por volta das 10h. Entretanto, consegui que um colega me substituísse e até hoje espero o tal telefonema assim como o computador.

Durante este período, fui contactando regularmente a TMN para saber o que se passa. Já telefonei umas quarto vezes e a resposta é sempre a mesma. Que com o pedido está tudo bem e que vão internamente fazer uma reclamação.

Hoje, resolvi que o assunto tinha que ficar arrumado. Telefonei, uma vez mais para a TMN (800 962 200) e disseram-me o que eu já sabia. Que com o pedido estava tudo bem e que iam fazer uma reclamação. De seguida telefonei para a Toshiba e deram-me o telefone da empresa distribuidora ( 707 102 526). Para grande espanto meu, essa empresa não tem nem nunca teve um computador para me entregar e os meus dados não constam da sua base de dados. Perguntei com quem poderia falar. Deram-me o telefone da Prológica (214 157 300) que como os senhores devem saber, é a empresa que faz o re-envio dos nossos pedidos/dados para a empresa de distribuição da Toshiba. Uma vez mais, fiquei admirada com o facto de esta empresa NUNCA ter recebido os meus dados. Assim se explica o facto de até hoje ainda não ter sido contactada para receber o computador.

Como é a TMN que envia os dados para a Prológica e esta nunca os recebeu, é da inteira responsabilidade da TMN, o facto de ainda não ter recebido o aparelho pedido.

O que é também de estranhar, são as informações contraditórias. De inicio, encontrava-se na empresa distribuidora, depois ia recebe-lo da mãos do Primeiro Ministro e agora ninguém sabe onde ele se encontra!

É uma vergonha que uma empresa da envergadura da vossa, seja tão incompetente e incongruente para tratar de assuntos tão banais como este!
Já agora, visto que irei pagar por um serviço que na realidade ainda não tenho, gostaria de saber onde se encontra o vosso livro de reclamações!

Dia 29 de Janeiro, recebi uma resposta:

Cara Senhora Maria João Duarte,

Agradecemos o seu contacto.

Estamos a reunir a informação necessária para esclarecer a questão que nos apresentou.

A nossa resposta será enviada assim que nos seja possível.


Até já

Pedro Ramos

Serviço de Apoio a Clientes

Hoje, dia 14 de Fevereiro, continuo à espera de uma resposta conclusiva e de um computador.
Quando será que o vou ter?

Maria

Shallow

Tell me somethin', girl Are you happy in this modern world? Or do you need more? Is there somethin' else you're searchin...